Plante Floresta

O plantio de florestas comerciais

O Brasil é referência mundial na produção de florestas comerciais de pinus e eucalipto, atividade conhecida como silvicultura.

Em 1903, o pioneiro Navarro de Andrade trouxe mudas de Eucalipto (Eucalyptus spp.) para plantios que produziriam madeira para dormentes das estradas de ferro.

Em 1947 foi a vez do Pinus (Pinus spp.). Essas espécies se desenvolveram bem nas regiões onde foram introduzidas, o Eucalipto nos cerrados paulistas e o Pinus no sul do Brasil.

Como os recursos naturais da Mata Atlântica há muito vinham sendo dilapidados, o plantio dessas espécies tornou-se alternativa viável para suprir a demanda de madeira.

A década de 70 foi marcada pela política de incentivos fiscais para o reflorestamento, que começaram ainda na década de 60. Com esses incentivos foi possível ampliar consideravelmente o estoque de madeira nesses plantios.

Desde então se investiu em pesquisa sobre a silvicultura dessas espécies, consolidando seu uso em plantios comerciais. O Brasil detém hoje as melhores tecnologias na silvicultura do eucalipto, atingindo cerca de 60m³/ha de produtividade, em rotações de sete anos.

Algumas importantes funções das florestas plantadas são:

  • Diminuição da pressão sobre florestas nativas;
  • Reaproveitamento de terras degradas pela agricultura;
  • Sequestro de carbono;
  • Proteção do solo e da água;
  • Ciclos de rotação mais curtos em relação aos países com clima temperado;
  • Maior homogeneidade dos produtos, facilitando a adequação de máquinas na indústria.

icon_preto Principais Espécies

O gênero Eucalyptus envolve mais de 700 espécies que estão adaptadas a diferentes climas e solos podendo ser utilizadas para diferentes finalidades.

As principais espécies cultivadas atualmente no Brasil incluem o Eucalyptus Grandis, Eucalyptus Urophylla, Eucalyptus Saligna, e o Eucalyptus Urograndis , este último que é um híbrido, resultado do cruzamento do (E.Urophylla x E.Grandis).

Já as espécies de Pinus mais difundidas são: Pinus Elliottii e Pinus Taeda, introduzidas dos Estados Unidos e, em menor escala, P. Caribaea e P. Oocarpa. Também são comuns: P. Hondurensis, P. Tecunumanii, P. Maximinoi e P. Patula.

icon_preto Por que plantar floresta?

O Eucalipto é a árvore mais plantada no mundo, justamente por ser a espécie de mais rápido crescimento, com alta produtividade e fácil adaptação aos mais diversos ambientes de clima e solo, e principalmente, pela grande diversidade de espécies, tornando possível atender aos requisitos tecnológicos dos mais diferentes segmentos da atividade industrial, fornecendo madeira de alta qualidade para diversos usos. É importante salientar que nenhuma outra espécie florestal consegue reunir tantas vantagens.

O Pinus, por sua vez, é muito versátil com bastante aceitação nos mercados nacional e internacional. Com crescimento e produtividade superior aos seus países de origem, o pinus também é amplamente utilizado para extração de resina, possibilitando retorno financeiro mesmo antes do corte das árvores.

icon_preto Pra que serve o Eucalipto? E o Pinus?

O Eucalipto pode ser plantado como árvore ornamental em parques, ruas e jardins; as folhas podem ser usadas em arranjos florais e para extração de óleo e as flores são utilizadas para produção de mel. O uso mais rentável, no entanto, é o aproveitamento da madeira como lenha, postes, moirões de cerca, biomassa, construção civil, produção de madeira serrada, carvão vegetal, produção de móveis, fabricação de chapas, painéis e de papel e celulose.

O Pinus, por sua vez,  é usado em construções leves ou pesadas, na produção de laminados, compensados, chapas de fibras e de partículas, na produção de celulose e papel, entre outros. O P. elliottii também é muito utilizado para a extração de resina.

Veja abaixo a tabela de aplicações:

tabelanova